362…

Em 5 de Dezembro de 2009 escrevi isto,

Hoje li isto:
“Population Change: Another Big Influence on Climate Change

ScienceDaily (Oct. 12, 2010) — Changes in population, including aging and urbanization, could significantly affect global emissions of carbon dioxide over the next 40 years, according to a new study.”

Podem ler aqui a notícia completa.

Afinal… sempre parece que somos mesmo animais humanos a mais neste Planeta…

77…

Para os que não se lembram deixo aqui o gráfico que espelha a simples interacção entre duas espécies:

Para quem deu isto na Escola, lembra-se, com certeza desta matéria, que resumindo demonstra como estes dois seres vivos estão na dependência directa um do outro.
A partir da descoberta do carvão, de outros combustíveis fósseis, e posteriormente, com a descoberta da energia eléctrica, assistimos a um aumento absolutamente insustentável do número de animais humanos.
Quando o animal humano deixou de viver tendo por base o ciclo do sol, e passou a viver tendo por base o ciclo das 24 horas (graças à energia eléctrica) mergulhou de cabeça para, o que se pode agora constatar, o princípio do fim. O ciclo de 24 horas permitiu-lhe por o cérebro a trabalhar e a vontade do mais e mais venceu. Pessoas começaram a trabalhar à noite em coisas que até então não era possível. A iluminação artificial das cidades favoreceu a expansão de um sem número de actividades consumistas. E assim atrás do mais e mais, a qualquer custo, chegamos aos dias de hoje. Enormíssimas quantidades de recursos finitos são consumidos diariamente neste ciclo de 24 horas para satisfazer as “necessidades” deste gigantesco número de animais humanos.
Tudo isto tem um limite pois o Planeta é, logicamente, finito.
E à medida que o animal humano, sem predadores naturais que controlem o seu número, vai-se reproduzindo para números insustentáveis, a Natureza vai definhando.

Em 1995 vários cientistas escreveram que o número crítico para a população mundial, e ao ritmo de consumo naquela data, era de cerca de 7 000 000 000 (sete biliões) e que se atingiria este número crítico em cerca de 20 anos (em 2015).

Estamos em 2009 e a população mundial à data de hoje é, segundo o USCB/IDB, de 6 801 286 433.

Quanto ao consumo, seja de que matérias se fale, não parou de subir desde 1995, logo o número crítico provavelmente já o ultrapassamos! 
O que se fez para atenuar esta situação? Nada, aliás, fazemos exactamente o oposto. 
Os avanços médicos foram/são tais que de uma esperança média de vida (emv) de 66.9 anos (média de 222 países) em 2003, passamos para uma emv de 77.32 anos em 2008.



E esta é a verdadeira causa para o estado em que se encontra o Planeta. Somos simplesmente animais humanos a mais…


Segundo algumas cabeças pensantes, o número realmente sustentável de animais humanos, é de +- um bilião de seres, preferencialmente para menos!