683…

“Porque continuamos a querer?…”

 

Continuamos a saltar de um lado para o outro… Na ilusória esperança!

Não nos ocorre que a Mudança Real só é alcançada no momento em que nós aceitarmos realmente PERDER o que temos…

Eles continuam a DOMINAR-NOS pois continuamos a não querer PERDER aquilo que eles nos VENDEM…

A ILUSÃO DA MUDANÇA…

 

Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

5 comentários

  1. Meu querido amigo Voz, em tão poucas palavras disseste tanta, tanta coisa! Na verdade, a grande maioria das pessoas só se reconhecem a si mesmas através do que possuem, do que estudaram, da família que têm, dos lugares que frequentam, dos mil e um enfeites com que adornam o corpo… e nem sequer sabem que quanto mais se identificam com o que lhes é externo mais obscurecem a alma, mais se distanciam do seu verdadeiro eu.

    Neste momento da minha vida cheguei à conclusão que, apesar de ser uma pessoa comedida em termos de posses, ainda assim tenho coisas a mais. Estou, por isso, a desfazer-me de tudo o que não tem utilidade para mim… quero viver o resto da minha vida com muito poucas posses materiais criando assim espaço para aquilo que verdadeiramente importa: aquilo que É!

    E sabes uma coisa interessante, querido amigo? Quanto menos tenho mais rica sou, mais se me abrem os horizontes de um infinito(?) que quero conhecer, e isto sim, é a verdadeira riqueza que não se compra, não se vende, não se troca, não se inveja nem se corrompe.

    E depois… tudo se pode quando se pode passar sem tudo!🙂

    Beijinhos

    Responder
    • Olá Isabel querida…

      A maioria das pessoas não são seres sencientes nem conscientes… São meras peças desta Civilização… São ESCRAVOS quer fisicamente, quer mentalmente. Para tal foram devidamente formatados desde a nascença e a grande maioria não quer, ou não tem sequer a capacidade de se tentar livrar desta condição…

      Como Tu, eu estou a fazer a mesma coisa… Já não adquiro NADA que não seja essencial há sobrevivência do Corpo… TUDO O RESTO – ZERO!
      E há medida que o TEMPO passa e as COISAS que me aprisionam se vão avariando, já não as substituo por COISAS novas… Lentamente, mas de forma segura, estou a ficar cada vez mais LIVRE…

      E realmente… VIVER com NADA preenche-nos a VIDA, e torna a nossa EXISTÊNCIA muito mais serena e proveitosa…

      Bjhs Amiga Isabel😎

      Responder
      • Enquanto não conseguimos ser, socorremos-nos do ter para preencher o vazio que assim não se preenche e muito pelo contrário, aumenta. Só quem é realmente, sabe do que fala. Há um exemplo carismático do ser que nunca precisou do ter para ganhar um lugar ao sol … ainda o nomeei hoje lá no meu blogue: Gandhi.
        O que esta gente anda a fazer, é a perder o seu tempo e já Napoleão dizia: “Sou menos avaro com o espaço do que com o tempo. O espaço pode ser resgatado. O tempo perdido, jamais.”

        Um beijinho, amigo querido

        Responder
  2. Anónimo

     /  Novembro 18, 2012 - 22:14

    3 comentarios muito á frente, assim como as poucas palavras deste post.

    O tempo perdido jamais pode ser resgatado, é um facto. A coisa mais impiedosa é o tempo, nunca pára.
    Sermos nós mesmos e mais nada. Dependência para trás rumo á auto-suficiencia esse é o meu objectivo.

    Da febre consumista já me livrei interiormente, mas restam certas dependências para resolver, e o tempo a passar. Essa é a minha frustração.

    Abraço
    Krowler

    Responder

Escrever um pensamento...

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: