561…

Biscoito, Caramelo, Chocolate

Ventoinhas…

Ó… tou parvo!!! Isto não é uma ventoinha…

É uma turbina eólica… sou mesmo NABO… Bem mas pouco importa o quão nabo sou, vamos lá ao que interessa…

Estas máquinas “não-voadoras” são a nova delicia dos animais humanos*, tudo porque são a solução de quase todos os nossos problemas, e se a estas belezas juntarmos os painéis solares de baixo rendimento, então quase que podemos considerar o Planeta, o Paraíso na Terra!

Nestas máquinas encontramos a solução para o nosso grande inimigo – o CO2 – devo referir já aqui e agora que apenas nos preocupa o CO2 resultante da produção de energia, a emissão de CO2 que resulta de todo o processo de produção e desmantelamento de uma destas máquinas é irrelevante.

E realmente, comparando este método de produção de energia eléctrica, com outros mais antigos, até que nem é muito mau… pelo menos para nós animais humanos…

Para não variar nada do que fazemos actualmente tem nenhum ou reduzido impacto, quer no ambiente quer noutros seres vivos. E neste caso das turbinas eólicas o caso, como é lógico, não podia ser diferente.

Não o é certamente, mas contudo, PARECE! isto porque a “Caixa Mata Cérebros” nunca transmite o lado PRETO da turbina… só nos injecta com o lado VERDE

Ah!!! Mas… mas… há lado PRETO nas eólicas?

Então… claro!

Um exemplo rápido… 30 segundos!

Claramente temos que criar um novo brevete para aves… e temos que obrigá-las a ir às aulas… Então as estúpidas não sabem que é perigoso andar a esvoaçar ao pé das pás da turbina?!?!? Idiotas…

Mas, não é apenas esta espécie de aves que leva… não… a seguinte é ainda mais… mais… bem, nem sei que adjectivo utilizar! Mais um rápido…

A esta espécie, morcegos, nem sequer precisamos de lhes acertar com as pás… ihih… basta a perturbação da atmosfera e a alteração de pressão que… zás… rebentam-lhes  os pulmões…

Tirando estas espécies, que não sei porque raio têm a mania de andar a voar e ainda por cima não seguem as estradas aéreas por nós criadas, outras sofrem o impacto directo e indirecto destas belas máquinas da nossa engenharia moderna.

Se por ventura o Índice de Eolicidade numa dada região for por demais excelente para se construir lá uma quinta eólica, mas a zona for de floresta… não há problema… bota-a-baixo a floresta e os seres vivos que por lá parasitam que se mudem. Se for zona agrícola, menos mau, pois basta pagar uns poucos cobres ao “dono” das terras e problema resolvido. Se for zona montanhosa… loucura! É o ideal… lá em cima ninguém vê puto nem liga a nada.

Para terminar o lado PRETO das turbinas eólicas… o fim de vida útil das mesmas…

E acham vocês, caros seguidores e eventuais leitores por acidente, que nós animais humanos nos vamos dar ao trabalho de ir lá desmantelar as quintas?

CRUZ CREDO… NÃO… isso sai muito caro e além do mais íamos emitir muito CO2… “deixás prá í” ficar… A natureza trata delas…

Turbinas Mortas em Tehachapi (Descansem em Paz!)

Esta nem precisa legenda!

Se isto em terra firme já é assim… podem ficar seguros que não vamos retirar estas

daqui quando o seu TEMPO de morrer chegar… Pode ser que por essa altura os peixinhos já consigam reciclar alumínio e outros elementos raros!

E pronto…

Fica assim a saber que isto do Eólico ser um Mar de Verde… não é bem a estória que nos contam… Mas é sempre melhor que nada!

* Nota: já não foram poucas as pessoas que me interrogaram porque escrevo “animais humanos”, fica aqui a explicação para memória passada e futura!
“animais humanos” grupo de seres vivos pertencentes a uma espécie antiga denominada por “homo sapiens” mas que por motivos de economia, e de corte de rating, passou a ser designada simplesmente por “animais humanos”.

Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

19 comentários

  1. Ora Viva!
    Ando aqui há um ror de tempo!
    Já pus a leitura em dia, vi que acrescentaste ao nome do teu blog a razão porque o Tempo Chegou e…olha, se realmente te assumes como maluco, devo dizer-te que ainda tens a lucidez suficiente para detectares o lado negro das turbinas eólicas que eu pensava ser o supra-sumo energético em matéria de preservação do ambiente e dos recursos naturais.
    Aliado aos imensos conhecimentos que possuis tens ainda um enorme sentido de humor, o que torna agradável de ler aquilo que, dito de outra forma, se tornaria fastidioso.

    Qual é o problema em te referires às pessoas como “animais humanos?”
    Por mim não vejo mal algum.
    Então os humanos não pertecem ao reino animal? lol

    Só não sei o que estão a fazer essas três serigaitas aí em cima….
    Bom, esta tua leitora não acidental, vai agora pregar pra outra freguesia.
    Beijinhos e tem bom fim de semana.

    Janita

    Responder
  2. Olá Olá Janita… “Só não sei o que estão a fazer essas três serigaitas aí em cima….” ihihih

    A razão destas três belas mulheres estarem aí é esta,

    “Olá…

    Tenho é que começar a não colocar aquelas imagens como a que coloquei no início desta mensagem… é por demais sugestiva do que a mensagem trata e a malta foge disto como o coelho da raposa!

    Tenho que começar a meter umas imagens de futebol, praia, discotecas, carros, salões de beleza e spa… enfim de tudo o que o pessoal realmente gosta, e a seguir zás… TOMA LÁ!”

    E como a minha sugestão pareceu bem a alguém infinitamente mais sábia e lúcida que eu, sempre que for escrever sobre temas raposinos e entediantes, coloco um chamariz… ihih

    “Qual é o problema em te referires às pessoas como “animais humanos?””

    Para ti e para mim não há problema nenhum pois sou capaz de me classificar como animal… mas não imaginas a quantidade de animais que por aí andam que pensam que são robôs, ou uma qualquer outra forma celestial de ser que não um animal!

    Ainda bem que gostaste de ficar a saber do lado PRETO das eólicas e de forma agradável… pois a realidade não é nada daquilo que nos é injectado!

    Bjhs

    Responder
  3. ah… qualquer dia, se ficar lúcido!, começo a deixar por aqui pequenos trechos da minha tese de doutoramento “How to achieve clarity through the complete and utter insanity” eheheh

    Responder
  4. Me sinto a pior das BESTAS!!!Eu achava que as turbinas eólicas eram a nona maravilha do mundo!!!
    Que doce ilusão, e ninguém a cuidar delas, coitadas! Nem um remedinho Homeopático à elas. Nada! as deixam morrer, como deixam morrer o povo aqui no Brasil, nas portas dos hospitais.
    E dizes que somos animais humanos?? Eu diria mais é que somos BESTAS INUMANAS

    Responder
  5. Meu mucho loco amigo,

    Agora só falta uma análise sobre a asséptica energia solar. Mas te pergunto: como nos livrarmos efetivamente das contas de luz e o que aqui no Brasil podemos verdadeiramente chamar de oligopólio energético? Você nos cobra o boicote mais do que justo, à algumas abominações corporativas. Não sería o caso de produzirmos nossa própria energia e darmos beiça pra cia. elétrica?

    E tem mais, Burgos, como bom ativista da União dos Baianos Puritanos (UBP), disse que não frequenta blogs apelativos que tratam de relações sexuais transgênicas e tenham fotos sugestivas.

    Responder
  6. Ok! Faz isso.
    Ainda bem que me lembraste que foi a queimar os neurónios a estudar para o teu recém-doutoramento, que ficaste assim um bocadito desaparafusado.
    Fartei-me de rir com a razão da presença das três beldades. eheh.
    Posso só perguntar se vives nos Açores?
    Bjos.

    Responder
  7. Não… mas já lá vivi!

    Responder
  8. Ritinha querida… então? Não é preciso ficares assim!!! “Eu achava que as turbinas eólicas eram a nona maravilha do mundo!!!” até podes continuar a pensar assim, desde que ignores o que aqui escrevi…eheh Quanto a sermos BESTAS estamos a seguir a evolução natural!!! Bjhs

    Walner… companheiro de loucuuuuuras… quanto ao sol… a seu tempo… sabes que aqui no TEMPO, a noção temporal não é a mesma que a dos comuns lúcidos!!

    A questão energética está directamente relacionada com o número de animais humanos que pretendem atingir um patamar que alguns, muitos poucos, já sabem não ser praticável à actual escala, e muito menos com a actual tecnologia e sobretudo com a paupérrima eficiência energética que caracteriza as actuais Sociedade ditas “desenvolvidas”. As que ainda não atingiram este nível de “desenvolvimento”, mas que o procuram por razões verdadeiramente alucinadas, apenas o podem atingir produzindo massivamente energia, pois o desperdício é tal que a produção tem que ser gigantesca para que as sobras possam permitir o tal “desenvolvimento”…

    Quanto ao Burgos… não é de admirar! A espécie dele é muito sensível a este tipo de chamariz ihihih

    Responder
  9. Voz… sem palavras… apenas um sorriso e uma lágrima… isto relativamente à mensagem que me deixaste na lateral esquerda…🙂 Eu também acredito na VOZ!!
    ahahahhah Valeu a pena ler estes comentários todos.
    O que não me deu vontade de rir, foi mesmo o post! Então a cena do abutre… vou-te contar!…
    Claro que nós temos a tendencia de dar a volta ao assunto e ver logo o lado negro, infelizmente para nós, mas há muito quem não saiba as leis herméticas e se esqueça de que tudo tem o seu oposto.
    Acredito que o teu trabalho seja desgastante, mas pelo menos ficas de bem com a tua consciência.

    Um beijinho da fada marada.🙂

    Responder
  10. Ó Walner… e esse seu blog, é para arrancar mesmo?🙂

    Responder
  11. Olá Fadinha… mandei mail para o Miguel para veres a última prova do possesso!!!

    “Um beijinho da fada marada. :)” E é dos marados que virá um futuro melhor, pois são os únicos sãos nesta loucura e caos absoluto…

    É o walner está a aquecer as turbinas da louuucuuuuuraaaa… ihihih

    Responder
  12. AHAHAHAHA!!! VOZ!
    Deve ser do maldito 666!
    yó no lo creo en brujas, pero que las hay, las hay!
    Ora aqui está o reverso da medalha das fadas! Prova provadinha! :))

    Responder
  13. Isso do lixo não há problema…
    Despeja-se a sucata num daqueles países africanos

    Mas de todas as maneiras os elementos raros que são necessários para fazer os imans das turbinas eólicas, ao que parece não dão para a malta toda…

    Saudações

    Responder
  14. Ora “já se sabe”, como se diz cá na terrinha.
    Diminuição do consumo de tudo, para reduzir alguns problemas.
    Senão, não há milagres…
    É de se prever que em todas as “soluções” existem os prós e contras.
    É uma questão de tentar perceber e descobrir aquilo que nos querem vender como verde.
    Mundo dos mentirosos…

    Responder
  15. Voz,
    o processo de branqueamento das incineradoras soma e segue.
    Nesta terra, a incineração também é verde. Está a ser constantemente promovida pelos meios de des-informação social, como valorização energética, sabendo os técnicos, eu e qq pessoa com dois “palmos de testa”, que se trata de queimar energia já gasta nestes produtos a serem incinerados.

    -perde-se na incineração 85% a 93% do calor produzido.
    – que o lixo que para ali segue, simplesmente não desaparece por milagre e transforma-se em gases e outros produtos altamente poluentes.
    – todos os resíduos da incineração causam impactos negativos para a saúde, quer humana, quer animal, por libertarem grandes quantidades de compostos químicos como dioxinas, furanos, benzeno, etc. e metais pesados como o chumbo, cádmio, mercúrio, arsénico, etc.. – para além destes resíduos se fixarem no nosso organismo, também contaminam a cadeia alimentar.
    – a principal forma de fixação das dioxinas é por via da alimentação, cerca de 90% provém do leite, carne ou peixe que não deverão ser consumidos.
    – as dioxinas são um produto químico extremamente difícil de ser filtrado e que escapam inevitavelmente para o exterior da incineradora, apesar da alta tecnologia empregue. Não têm cheiro nem se vêem, não são excretáveis e fixam-se nos tecidos gordos e leite materno.
    – A Agência para a Protecção do Meio Ambiente dos EUA confirma que os danos sobre o desenvolvimento fetal e o sistema imunitário, são alguns dos riscos mais graves, devidos á exposição de dioxinas. Assegura que não há um nível de exposição seguro e que qualquer dose, por mais baixa que seja, pode provocar danos á saúde.

    Apenas alguns dos problemas…e parece que ninguém liga.
    Todos com medo de perderem seus empregos e estilos de vida.
    Nem mesmo a Quercus núcleo regional, apesar desta notícia da Quercus nacional:

    “face a todas estas condicionantes, a Quercus apresentou ao Governo Regional e à AMISM uma alternativa para o tratamento dos resíduos urbanos da Ilha de S.Miguel através do Tratamento Mecânico e Biológico (TMB) custa apenas 25 milhões de euros, poupando-se assim cerca 50 milhões em relação ao incinerador.

    Última notícia depois da
    que está acima:
    “O secretário regional do Ambiente e do Mar, Álamo Meneses, afirma que estão reunidas as condições técnicas para avançar com o concurso de construção da incineradora em São Miguel. O projecto de valorização energética de resíduos por incineração da AMISM – Associação de Municípios da Ilha de São Miguel obteve luz verde no que se refere à avaliação do impacte ambiental…blábláblá….

    Enfim, nada de mais, o normal…

    Açores, Turismo da Natureza e como sempre, o que parece bom, não o é…
    tem a ver com este post.

    Desculpem a extensão do comentário, mas pode ser que alguém se interesse de saber o que é realmente este processo de ganhar dinheiro.

    Responder
  16. Estás a ver “VOZ”? Já começaste a lucrar com a minha vinda ao teu blog!
    Agora até a “Fada do bosque” te manda beijinhos…
    Coisa a que ela até nem é muito dada…pelo menos nunca vi isso antes…eheheheh

    Responder
  17. Olá Janita!🙂

    …Tinha de ser Janita… já viu a mensagem que o Voz me deixou nos comentários do lado esquerdo do blogue? é só clicar em Voz… mas o que está escrito a azul, onde tem um coração.🙂
    Por acaso não sou dada a beijocas não senhora… tem toda a razão mas depois dessa mensagem, o VOZ tem de levar com isso… e já não é a primeira vez.🙂

    Responder
  18. E Janita… verdade seja dita, o Voz ficou a ganhar, foi com uma comentadora como a Janita.

    Responder
  19. Olá Fada!

    Tomei a liberdade de fazer esse comentário por já nos termos encontrado noutro blog e saber que iria ver nele aquilo que na realidade é: uma brincadeira sem maldade.:))

    Bondade sua Fada…o que valem os meus comentários comparados com os seus?
    No fundo, para mim, o mais importante de tudo é esta maravilhosa forma de comunicarmos e interagirmos com pessoas com as quais nos sentimos bem.
    Vim aqui parar por caso e gostei muito, sobretudo da forma como fui recebida. Senti calor humano deste lado, percebe?

    Não, ainda não vi a mensagem do VOZ, irei ver a seguir. Agora fiquei curiosa…
    Sendo ele tão simpático, só pode ser algo bastante agradável.

    Um beijinho para si, Fada.
    ( eu sim, sou muito beijoqueira. lol )

    Responder

Escrever um pensamento...

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: