539…

Orçamento de Estado 2012

“Outra vez?”

SIM… outra vez…

“Vá lá Voz… assim o meu cérebro vai ficar sujo e tenho que ir lavá-lo…”

Quem não quiser ler ainda vai a Tempo…

Factura… Homens de Fraque à Paisana… Finanças… Economia Paralela…

Consigo resumir na imagem seguinte o que penso sobre este artigo que se encontra na Proposta de Lei para o OE 2012

“Artigo 162.º
Autorização legislativa relativa à emissão e transmissão electrónica de facturas e
outros documentos com relevância fiscal

1 – Fica o Governo autorizado a aprovar um regime que institua e regule a emissão e transmissão electrónica de facturas e outros documentos com relevância fiscal.

2 – A autorização referida no número anterior tem o seguinte sentido e extensão:


h) Criar deduções em sede de IRS, IMI ou IUC correspondentes a um valor de até 5% do IVA suportado, e efectivamente pago, pelos sujeitos passivos na aquisição de bens ou serviços, sujeitas a um limite máximo.”

Como consigo resumir isto… fácil fácil

Ao contrário do que já ouvi na máquina de lavar cérebros, a dedução é de ATÉ 5%, e não de 5% como querem fazer vender a mercadoria aldrabada…

É que até 5% significa que vai do zero a cinco, e ainda vão criar e tem limite… enfim, bastava isto para os mandar bugiar!

Mas não…

Primeiro que tudo não sou Homem de Fraque para andar a fazer serviço de inspector das finanças.

Depois uma coisa deste género já esteve em vigor e a Economia Paralela não desapareceu como que por milagre…

Querem nos incentivar a pedir facturas… estes gajos escolhem sempre o caminho mais difícil!

Criaram um sistema de certificação de programas de facturação, a legislação é de tal forma embrulhada que se fosse aqui descrever os diplomas que regem esta certificação até eu tinha que ir por o cérebro a lavar… Claro que já fui ler tudo sobre a certificação, mas poupo-vos a esta valente seca. Se quiserem saber é só ler a Portaria 363/2010, alguns artigos do CIRC, outros artigos do CIVA e mais uns quantos outros artigos de outra legislação avulso!

Resume-se assim: Os grandes escapam à certificação da DGCI, os pequenos tramam-se… faz lembrar algo!

Se querem realmente diminuir a Economia Paralela há outras vias bem mais fáceis…

Mas para acabar pergunto-me porque raio tenho que andar eu a fazer colecção de papéis, ainda por cima é pouco ecológico (está na moda ser Verde) pois não me cheira que aceitem facturas digitais, se existem


2637 Entidades Licenciadas com Isenção integral na Zona Franca da Madeira

Com a agravante das Finanças desta Barraca a Arder ainda terem o desplante de informar que

Observações: A listagem das entidades licenciadas pode mostrar-se incompleta por falta da declaração a que se refere o Artigo 33.º n.º 17 do Estatuto dos Benefícios Fiscais.

Termino escrevendo: ESTOU-ME A CAGAR PARA AS FACTURAS… VIVA A ECONOMIA PARALELA (UMA DAS POUCAS FORMAS DE MINAR O SISTEMA)

Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

4 comentários

  1. Quem não podem minar o sistema, quem é?

    Responder
  2. Olá Brown Eyes… repete lá se fazes favor…

    se o 'm' está a mais… então a resposta é fácil… é o ESCRAVO TÓTÓ!!! Mas se forem algo criativos arranjam maneira de dar a volta à BURRA…

    Responder
  3. Eu estou nessa, claro. Faço umas trocas, até em horas de trabalho.
    Ninguém nos obriga a usar dinheiro, pois não?
    Será que se poderá chamar a isto economia paralela?

    Responder
  4. Viva a Economia Paralela!!! : )
    Abraço, Voz!

    Responder

Escrever um pensamento...

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: