380…

Quem são estes?
Posso afirmar que são o Pai e a Mãe da SIDA/VIH

E foi em 1984 que o esquema que já assassinou muita gente, e que fez uns poucos ganhar biliões, teve origem…
E a origem foi vergonhosa… seja qual o prisma por onde se observe… científico, político, humanístico… é só escolher.

Antes de publicar mais detalhes quero, por agora, deixar apenas isto, relativamente a Portugal.

O termo epidemia designa o aparecimento súbito de uma doença infecciosa que se propaga durante um determinado período de tempo por uma determinada zona geográfica, afectando um número significativo de pessoas.

“A situação da epidemia em Portugal
O primeiro caso de SI DA em Portugal foi diagnosticado em Outubro de 1983
e até 31 de Dezembro de 2006 foram notificados ao Centro de Vigilância Epidemiológica
das Doenças Transmissíveis 30.366 casos de infecção VIH/sida” fonte

Isto dá cerca de 1320 casos de “VIH/sida” por ano! Cerca de 0,0125% da população portuguesa/ano…

Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

15 comentários

  1. É tudo muito triste…
    E a maior parte das pessoas nem imagina a GRANDE mentira que se vive em nome do dinheiro.
    Não fazem a mínima idéia e é mto duro viver num mundo em que muito poucos observam esta verdade pois continuarão a consumir, a dar dinheiro sem fazerem as mínimas perguntas.
    É triste, mas é verdade e prefiro a verdade acima de tudo.
    E que bom que existem algumas pessoas que se dão ao trabalho de denunciá-la.

    Responder
  2. Isto é uma verdadeira desgraça… as pessoas que já foram mortas por este grupo de gente (empresários, cientistas, políticos, médicos) é de ficarmos a pensar que isto não tem mesmo volta… enquanto Vivermos numa Civilização em que o DINHEIRO é que controla tudo… estamos todos em risco.

    Responder
  3. O interessante é que aquilo que a “teoria da conspiração” tem aparentemente de melhor – o espírito crítico – não aceitando de mão beijada as verdades assumidas, torna-se na sua maior falha, quando aqueles que as seguem (às teorias da conspiração) são absolutamente alheios a esse espírito crítico, aceitando acefalamente todas as “verdades” que lhes são expostas por documentários duvidosos e altamente questionáveis, não tentando sequer aprofundar um pouco mais o já imensamente diminuto (des)conhecimento que têm sobre o assunto..

    Os erros descobrem-se e corrigem-se, mas uma mente amputada da sua maior arma, a inteligência, é incorrigível..

    Miguel Araújo Abreu (Assassino profissional, pensador nos tempos livres)

    Responder
  4. Este que se diz “assassino profissional”, já á partida parece-me que se tocou em algum ponto fraco ou simplesmente gosta de chamar acéfalos aqueles que tentam perceber se tudo o que se conta é de facto verdade.
    Claro, não somos médicos, temos desconhecimento da área, mas não me parece que seja de todo infundado este documentário. Só gostava mesmo é que ele desse algumas dicas, para nós, os acéfalos, tentarmos perceber e averiguar o contrário. Será que é falta de inteligência questionarmos o que não percebemos?
    Acredito que muitos caminhos anteriormente indicados, só serviram para alguns obterem lucros e nada mais. Não é a “teoria da conspiração”, é simplesmente a desconfiança que tem sido fortalecida por muita coisa que já aconteceu.
    Miguel, devias ser mais humilde! Nem todas as pessoas têm que caminhar em manada sem questionarem sobre aonde irá dar o caminho.
    Bem, se estás a ler isto, é porque ficaste com curiosidade sobre o que se escreveria a seguir.
    Gostava mesmo de uma explicação sobre o assunto, mas visto ser leiga, teria que vir de alguém em quem confiasse. É que não confio muito em alguns médicos!

    Responder
  5. Achas que todos os erros descobrem-se e corrigem-se? Se calhar, terás que viver mais alguns anos para descobrir o quanto errado estás.
    Experimenta dizer isto a alguns pais cujos filhos foram alvo de erros médicos, motivados muitas vezes por negligência.
    Errar é humano, mas negligência e obtenção de lucro é exactamente o que é…
    E isto atinge qualquer sector. É por isso que existe a desconfiança dos menos inteligentes e acéfalos.

    Responder
  6. Safa! Estava a ver que não aparecia nenhum crente do sistema…
    Quando temos Prémios Nobel, PhD, M.D., e outros que tais, a afirmar e a solicitar fundos para investigar a hipótese oposta e tal não lhes é facultado, basta isto, para sabermos que a hipótese ortodoxa está pejada de falsidade, e que os biliões estão em risco… Aliás aproveito para pedir ao Hipercubo e ao seu profundo conhecimento que não demonstrou ter mas que pensa que tem, que me indique um estudo, cientificamente validado, onde esteja demonstrado que o VIH causa SIDA… fico à espera… e não se preocupe pois as fontes que estou a ler não são os filmes… apenas servem para simplificar…
    Quanto à retórica por si invocada… aplica-se exactamente no sentido inverso… por que razão tenho que aceitar idiotamente a versão de meia dúzia de cientistas, espalhada por meios de comunicação controlados por meia dúzia de magnatas?!?
    Não tenho… nem devo…
    Aliás… basta olhar para a história para nos darmos conta de que muitas doenças supostamente provocadas por vírus… afinal não o eram!!! Apesar de a maioria dos “cientistas” pensarem que eram… e os poucos que afirmavam que não eram os vírus que provocavam a doença serem apelidados de doidos, burros e conspiradores… no fim de contas chegou-se à conclusão de que afinal não eram os vírus… Num futuro não muito longínquo as pessoas vão abrir os olhos e aí vão-se perguntar como foi possível!

    Responder
  7. Antes de mais, ressalvo que não sou “crente” em coisíssima nenhuma… As minhas convicções baseiam-se na razão e do consequente uso desta na análise de evidências científicas claras. O termo é, no entanto, muito bem aplicado e justifica o porquê desta discussão. Uns discutem crenças, outros evidências científicas..

    Acho piada quando falas nos Nobeis, nos MD e nos PhD, gostaria de saber quais os critérios com que escolhes tais personalidades, é que do “outro lado” também os há. A diferença destes é que, para além de estarem em larguíssima maioria (quanto comparado com o diminutíssimo número de “negadores” (denialists)) a maior parte deles são efectivamente estudiosos da matéria e não oncologistas ou químicos cujas áreas de investigação nada têm a ver com a infecciologia no geral ou o VIH em particular…

    Pediste-me estudos cientificamente validados..Aqui vai um: http://www.niaid.nih.gov/topics/HIVAIDS/Understanding/howHIVCausesAIDS/pages/hivcausesaids.aspx
    Está suficientemente claro para um “não cientista”.

    Devo referir, no entanto, que não é propriamente estimulante para um infecciologista/virologista/epidemiologista escrever sobre a causa da SIDA, da mesma forma que não será estimulante para um astrónomo escrever sobre a validade ou não do heliocentrismo. As evidências científicas são de tal forma claras que os investigadores preferem debruçar-se sobre os mecanismos da doença e a forma de a controlar. Afirmar que a SIDA não é causada pelo VIH é a mesma coisa que dizer que a Hepatite C não é causada pelo VHC ou que a malária não é provocada por um dos 5 Plasmodium que infecta o homem.Tanto no VIH, como nestes que acabei de referir, não só sabemos o seu efeito patológico, como já conhecemos amplamente a fisiopatologia, ou seja, os mecanismos pelos quais o vírus provoca a doença.

    Tenho ainda a acrescentar que é absolutamente falso que a “teoria” de que a SIDA é provocada pelo VIH é apenas uma “versão” de “meias dúzia” de cientistas. Trata-se sim, de uma unanimidade no seio médico.
    Assumir que a comunidade médica é suficientemente estúpida e manipulável para se deixar enganar por uma “versão” falaciosa da realidade é não conhecer de todo como esta funciona, sendo apenas mais absurdo acreditar que este imenso grupo de cientistas, sabendo da verdade, a esconde perante o mundo leigo de forma a obter dividendos.

    Não só podemos duvidar, como devemos duvidar, é assim que se constrói a ciência, sendo que a beleza da mesma se prende ao facto de a utilização do método científico fazer com que experiências feitas por uns possam ser repetidas e comprovadas por outros, de forma independente. É assim que se constroem (ou muitas vezes se destroem) convicções. É assim que do conhecimento básico se parte para o entendimento dos mecanismos e posteriormente para a solução dos problemas por eles causados. O que move o cientista é a busca da verdade, sendo que o verdadeiro homem de ciência ficará tão contente com uma nova descoberta como com o derrubar de uma teoria até então vigente.

    Responder
  8. Continuo sem saber como pode uma coisa ser de aceitação unânime se há os que questionam e pretendem provar o contrário, e em alguns casos também já o provaram… quanto há parte da evolução da ciência e de “fazer com que experiências feitas por uns possam ser repetidas e comprovadas por outros, de forma independente. É assim que se constroem (ou muitas vezes se destroem) convicções.”, é curioso como as entidades financiadoras, tipo a do estudo que indicou, não dão a mesma oportunidade a ambas as partes… até promove é a exclusão e silenciamento da tais vozes conspiradoras, mas de forma subtil, como alias é prática desta Sociedade, temos que dar a Ilusão de Liberdade…

    Responder
  9. Quando falo em “unanimidade” dou-me ao luxo em fazer um “arredondamento” e não incluir cientistas dissidentes que muitíssimo pouco têm a ver com a infecção pelo VIH e tão pouco tratam doentes infectados por este vírus.

    Eu não indiquei estudo nenhum.. indiquei um artigo de revisão que cita vários estudos, estudos esses publicados em revistas médicas (daquelas onde publicam os tais MDs, PhDs e futuros e passados nobeis) de renome internacional em que cada autor na altura da publicação tem de assinalar eventuais conflitos de interesse (por exemplo, trabalhar para uma farmacêutica com produtos na área ou a investigar produtos na área)identificando-os.

    Quanto aos fundos para a investigação.. Também não vejo a disponibilização de fundos para o estudo da existência de gambuzinos ou para a prova inequívoca de que o Elvis está vivo.
    Ninguém silencia as vozes dissidentes, a prova disso é que elas ouvem-se, por mais absurdas que possam ser e apesar do risco das mesmas, afastando pessoas de tratamentos comprovadamente eficazes.

    Ao contrário do que acontece com a razão, existe uma relação afectiva entre as pessoas e as suas crenças. Estas não só acreditam, como gostam de acreditar. É o que acontece nos crentes de uma religião.. eles não precisam da razão, precisam daquela crença e por mais absurda que esta seja, vão-na defender até às últimas consequências. É por isso que o debate baseado em crenças é inerte, não adianta nada, é uma verdadeira perda de tempo.

    Provavelmente repugna-me tanto o sistema capitalista como a ti. Acho que está longe de ser o melhor, acho que cria desigualdades inaceitáveis (das quais se alimenta) e que a maior parte das vezes em nada é favorável à verdade que busco.
    Repugnam-me igualmente as prioridades das farmacêuticas no que diz respeito à investigação de fármacos para o tratamento desta e de outras doenças. Mas não é isso que aqui está em causa.

    Tendo em conta o que já aqui disse, não vou alimentar discussões inertes. Terei todo o gosto em, e nas limitações do meu tempo disponível (que infelizmente não é muito, esta vida de assassino profissional manipulável pelos magnatas da comunicação ocupa-me demasiado tempo), caso alguém deseje responder a questões objectivas sobre esta e outra infecção dentro das minhas limitações de conhecimento. Disponibilizo-me inclusive a encontrar-me pessoalmente com alguém (vivo no Porto) que deseje uma discussão sem as limitações das palavras escritas em pequenas caixas de texto…

    Responder
  10. “…a prova disso é que elas ouvem-se…” Se é para gozar… realmente mais vale não escrever nada!

    Responder
  11. Se quisesse gozar com o que quer que fosse, fazia-o usando bem menos palavras…

    Responder
  12. Pois… então não sei de que Planeta é o Hipercubo… mas do Planeta Água não é de certeza!

    Responder
  13. E é assim que se desvirtua uma discussão..

    Quando a verdade pouco interessa, fazendo uso da nossa inteligência não para alcançar um fim, mas para tentar justificar um fim que já à partida determinamos como o “correcto”, pouco há a falar..

    Como a qualquer outra pessoa, desejo que nunca tenhas o azar de contrair o VIH, mas a ti em especial, pois a manteres essas convicções infundadas terás o mesmo fim que os testemunhas de jeová que teimosamente recusam a transfusão que lhes salvaria a vida…

    Responder
  14. Miguel,
    bom partilhares o que sabes. Diálogo é preciso especialmente quando há opiniões opostas.
    Abraço e gostaria mesmo que tivesses razão.

    Responder
  15. Mais uma vez… a fuga clássica! Todo o teu discurso é clássico e ortodoxo, parece que estou a ouvir uma cassete… Falas de realidades que não existem, mas afirmas que assim são, no entanto nunca dás provas delas… e quando afirmas que “Mas não é isso que aqui está em causa.” então é que entornas o caldo… pois é exactamente isso que está em causa…
    Quanto à parte de contrair o VIH… aí está algo que nunca me vai tirar o sono… se calhar até já sou VIH+, tudo depende do país onde fizer o teste, do fabricante do teste e do “técnico” que analisa os resultados… e mesmo sendo positivo nesse país… basta-me ir para outro, fazer outro teste de outro fabricante ser visto por outro “técnico” e já não sou VIH+… maravilhoso… se for em África então nem preciso de teste, basta uma observação clínica… ainda mais maravilhoso Não pretendo com os meus textos afirmar que aquilo que republico e escrevo é a verdade, apenas pretendo por as pessoas a ler e a pensar… nem que seja mais 1% do que aquilo que agora pensam… pois actualmente ninguém pensa.
    Vive bem sê feliz… e tenta abrir os horizontes desse pensamento.

    Responder

Escrever um pensamento...

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: